Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

Betty Boop por Shigeru Sugiura

Criada por Max Fleischer e Grim Natvick, Betty Boop surgiu em animações em 1930 na série Talkartoon do Fleischer Studios.

 Betty foi muito popular no Japão e aparecia em cartões menko e mangás, obviamente não oficiais, é o caso dessa página por Shigeru Sugiura de 1935, o sucesso da personagem chegou aos ouvidos do estúdio, foi quando produziram o curta A Language All My Own, onde Betty viaja ao Japão e vestida com um kimono, canta uma canção em japonês.







Em diversos livros é dito que Betty Boop teria inspirado os olhos grandes dos personagens dos mangás, a comparação mais comum é de Betty com a Princesa Safiri, personagem de Osamu Tezuka, contudo, contudo, Sugiura foi assistente de Suihō Tagawa, autor do gato Norakuro (1931-1981), personagem já que possuía olhos grandes.


Tezuka nunca declarou ser fã da personagem, mas era fã do Popeye, personagem das tiras de E. C. Segar que estreou nos cinemas em um curta de Betty Boop produzido em 1933 pelo Fleischer Studios, um outro dado é que Gri…

Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia

Como se sabe, a Itália é a maior produtora de quadrinhos Disney pelo mundo, contudo, as primeiras histórias produzidas no país não eram oficiais, as tiras originais estrearam em março de 1930 no Illustrazione del popolo , um suplemento do jornal Gazzetta del Popolo, entre abril e agosto de 1931, o jornal Il Popolo di Roma publicou pranchas de Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia. Guastaveglia fez crossovers do Mickey e Minnie (chamados de Topolino e Topolina, topolino é um nome dado ao rato doméstico ou camundongo) com Gato Félix (Mio Miao) e usou Kat Nipp (Gatto Nipp), um vilão dos primeiros curtas do Mickey que era usado nas tiras por Floyd Gottfredson, o nome é alusão a catnip, erva do gato, o personagem lembra as primeiras versões de  Peg Le Pete (Bafo no Brasil), porém, Pete estreou em Alice Solves the Puzzle de 1925 da série  Alice Comedies (ou seja três anos antes do próprio Mickey), Kat Nipp estreou num curta do Mickey, The Opry House de 1929.


Mickey contracenando com Minni…

Os quadrinhos mexicanos de Conan

Conan, o bárbaro é o personagem de uma série literária criada pelo escritor americano Robert E. Howard e publicado entre 1932 e 1936 na revista pulp Wierd Tales, como se sabe, em 1970, a Marvel inciou a publicação de uma adaptação em quadrinhos, com roteiros de Roy Thomas e desenhos de Barry Windsor-Smith,, John Buscema, Ernie Chan, Alfredo Alcala, entre outros, o que pouca gente sabe, é que o personagem havia tido quadrinhos não-oficiais no México nas décadas de 1950 e 1960.


Em 1952, a revista Contos de Abuelito (uma revista no formato 14 x 11 e em preto e branco) iniciou em sua oitava edição, uma quadrinização do conto Queen of Black Coast, escrita por  Loa Rodriguez e Victor Rodriguez com desenhos de Salvador Hermoso Lavalle e capa de Hecky (Héctor Gutiérrez),  adaptação foi publicada até a edição 12, na edição 14, a revista continuou a publicar a história. a série foi publicada junto com a séries Kunga la diosa de oro (uma garota das selvas parecida com a Sheena) e La Aranhã (bas…

Flash Gordon por Guido Fantoni

Conforme falei em outro post, a Alemanha nazista dominou a Bélgica e impediu a importação de quadrinhos americanos, dentre eles Flash Gordon de Alex Raymond, que teve histórias por Edgar P. Jacobs, contudo, isso já tinha acontecido na Itália fascista de Mussolini, em  1938, Guido Fantoni teve que ilustrar uma história de Flash Gordon (chamado de Gordon Flasce) na revista da L'Avventuroso, publicada pela Casa Editrici Nerbini.


Uma lenda urbana afirmava que Federico Fellini (1920-1993) havia roteirizado as histórias com desenhos de Giove Toppi, contudo,  isso foi desmentido por Leonardo Gori, que identificou Fantoni como o autor dos desenhos, Fantoni também havia ilustrado história dois outros heróis da King Features Syndicate: Mandrake e Fantasma, ambos criados por Lee Falk.

Para Gori, os roteiros eram diferentes dos outros trabalhos de Fellini, fã de quadrinhos, Fellini havia trabalhado com cartuns e quadrinhos antes da Segunda Guerra, ele também colaborava com roteiros de rádio …

Captain Marvel, Jr. por Uderzo

Conforme comentei na última postagem, Flash Gordon teve uma história produzida por Edgar P. Jacobs para a revista belga Bravo em 1942, em  1950, a mesma revista faria o mesmo com o Capitão Marvel Jr. pelo francês Albert Uderzo, não se sabe ao certo o motivo, uma vez que a Segunda Guerra Mundial acabou em 1945 e a Bélgica não estava mais em poder dos nazistas, Uderzo ilustrou 26 páginas publicadas semanalmente no jornal, que foi encerrado em 1951. O Capitão Marvel, Jr. foi criado por France Herron e Mac Raboy, em 1946, Raboy se tornou ilustrador de Flash Gordon. A Família Marvel foi bastante popular durante a Era de Ouro, sendo os principais concorrentes de Superman e cia, os personagens foram descontinuados em 1953 por um processo movido pela National (atual DC), que alegava que o conceito do Capitão Marvel era cópia do Superman, no Brasil, os personagens continuaram tendo histórias locais nas revistas publicadas no jornal O Globo e RGE, no Reino Unido, Mick Anglo foi contrato para c…